Twitter Facebook

Siga Cândido Nóbrega

10 JAN
09h36

Em reunião com SINDESEP, Saúde explica situação e promete resolver problemas dos servidores e pacientes do Trauma


Em reunião com SINDESEP, Saúde explica situação e promete resolver problemas dos servidores e pacientes do Trauma
Em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (8), a secretária adjunta da Saúde do Estado, Renata Nóbrega, explicou ao presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde da Paraíba, (SINDESEP-PB), Roberto de Andrade de Leôncio, toda a situação pela qual passa os servidores e pacientes do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.
 
De acordo com a secretária, os contratos que estão sendo formalizados com os servidores que antes eram de responsabilidade da Organização Social, Cruz Vermelha, que gerenciava o Trauma, são contratos emergenciais  de  até 6 meses, período este que em que Fundação de Saúde da Paraíba (PBSaúde) já tenha sido aprovada e com isso os servidores serão contratados como todos os direitos trabalhistas garantidos.
 
Com relação aos pacientes que foram transferidos do Htop, que era o hospital de retaguarda do Trauma, para o Clementino Fraga, Renata Nóbrega garantiu a Roberto Leôncio que os mesmos já estão sendo transferidos para o Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires aonde serão submetidos aos procedimentos cirúrgicos e ficaram internados lá mesmo.
 
‘Foi uma reunião bastante proveitosa aonde foram esclarecidos todos os pontos e estamos confiantes de que a Secretaria de Saúde do Estado vai cumprir com todas suas obrigações para que os pacientes e servidores não sejam penalizados e, no tocante ao papel do Sindicato, vamos continuar acompanhado de perto tudo o que está discutido e resolvido, pois esse é o nosso papel, defender os direitos dos trabalhadores da saúde”, finalizou Roberto Leôncio.

Postado às 09h, por Cândido Nóbrega


Seu comentário agora é social. Você precisa estar conectado no Facebook para postar seus comentários.

"Este blog não se responsabiliza pelas opiniões emitidas neste espaço pelos leitores e destacamos que os IPs de origem dos comentários ficam disponíveis para eventuais demandas jurídicas ou policiais".