Publicado em 29/12/2017 às 19:47

Produtores canavieiros da Paraíba comemoram sanção da lei de incentivo a biocombustíveis

A sanção pelo presidente Michel Temer, essa semana, da lei que cria a Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio) foi recebida com entusiasmo pelo setor canavieiro da Paraíba. Isto porque a lei prevê a criação de metas compulsórias para redução das emissões de gases de efeito estufa para distribuidoras de combustíveis e a adição obrigatória de biocombustíveis a combustíveis fósseis, o que vai impulsionar a produção e uso de combustíveis renováveis e menos poluente no país, a exemplo do etanol produzido a base da cana-de-açúcar.
 
Novo horizonte
 
O presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), José Inácio de Morais, compara a sanção da Lei a um novo horizonte que se descortina não apenas para o setor, mas, sobretudo para o Brasil. “O estímulo à produção e consumo de combustíveis menos poluentes em detrimento de combustíveis fósseis é uma tendência mundial que busca preservar o planeta e, sobretudo, estimular o uso de biocombustíveis que é renovável e menos poluente”, afirma José Inácio.
 
Brasil avança
 
Ainda de acordo com o presidente da Asplan, o Brasil avança também ao criar uma política específica para uso dos biocombustíveis. “Essa lei é um passo amplo, com uma visão de futuro, que gradativamente vai gerar dividendos para o Brasil que tem um enorme potencial na produção de combustíveis limpos e renováveis. O país precisava de uma política neste sentido e a Lei surge justamente para isso”, reitera o dirigente canavieiro.