Publicado em 06/04/2018 às 18:47

Audiência Pública identifica que um bancário faz cerca de 10 mil atendimentos mês na agência da Caixa de Mamanguape

 Durante a audiência pública realizada pela Assembleia Legislativa, nesta sexta-feira (06), na sede da Câmara Municipal da cidade de Mamanguape, se constatou que um bancário que atua na referida unidade bancária chega a fazer até 10 mil atendimentos/mês, o que explica a verdadeira via crucis que clientes da agência passam quando precisam resolver algo. “Isso é um absurdo, é um completo desrespeito tanto ao profissional, que com tamanha demanda não consegue atender a contento, e aos clientes e correntistas, que merecem ter um tratamento digno, sem ter que enfrentar longas filas e um tempo exorbitante de espera para ser atendido”, afirmou o deputado estadual Jeová Campos, autor da propositura de realização da audiência pública.
 
“A audiência foi muito qualificada, tanto no que diz respeito a presença da representação da superintendência da Caixa Econômica Federal, do sindicato dos bancários, Procon, muitos vereadores de cidades circunvizinhas, lideranças de Cuité, de Capim, Mamanguape, e produtiva em relação aos debates que foram bem esclarecedores”, avalia o parlamentar. Segundo Jeová, a partir das colocações de hoje, foi montado um Plano de Emergência que será encaminhado à Superintendência da Caixa. “É preciso que a Caixa adote providências urgentes para rever esse quadro, ampliar o número de profissionais na agência é algo urgente e necessário”, reiterou Jeová.
 
O parlamentar fez uma censura pública em relação ao Banco do Brasil que foi devidamente convidado pela Assembleia Legislativa para participar da audiência e não compareceu. “O fechamento de agências e redução de outras, não apenas da Caixa, mas também do BB, além de agentes lotéricos reduziu as opções da população da Região Metropolitana do Vale do Mamanguape, que totaliza um universo de mais de 120 mil pessoas, terem suas demandas bancárias atendidas a contento e é preciso mudar essa realidade que faz hoje as pessoas esperarem muitas horas, em filas enormes, expostas ao sol e chuva, para resolver questões corriqueiras e o Banco do Brasil também deveria estar aqui presente, mas, nem mandou representante”, criticou o parlamentar.
 
  O prédio onde funciona a agência bancária da CEF de Mamanguape, segundo denuncia que chegou ao gabinete do parlamentar, também é pequeno e não comporta a demanda de usuários que diariamente procura o banco para resolver seus assuntos financeiros. “Isso também é outra questão que a Caixa precisa resolver”, disse Jeová. As propostas do Plano Emergencial foram entregues aos representantes da Caixa no final da audiência. “Vamos acompanhar a solução destes problemas de perto”, finalizou Jeová.