Publicado em 29/09/2020 às 19:50

Sistema CNT promove capacitação em gestão ágil para setor transportador

A pandemia da covid-19 acelerou diversas transformações, e isso tem exigido das empresas agilidade na adequação de produtos, serviços e processos, a fim de responder às demandas que surgiram ou que se acentuaram em 2020. No caso dos transportes, por exemplo, a quinta rodada da Pesquisa de Impacto no Transporte – Covid-19, divulgada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) neste mês, apontou que 58,2% dos transportadores perceberam mudanças de exigências dos clientes. As principais são protocolos de higiene e de segurança sanitária, redução do valor cobrado pelo serviço e pontualidade.
 
Para apoiar o transporte brasileiro na transformação dos negócios, a fim de se adaptar à nova realidade e se antecipar estrategicamente aos desafios futuros, o Sistema CNT, formado pela Confederação Nacional do Transporte, pelo SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte) e pelo ITL (Instituto de Transporte e Logística), oferecem, nesta semana, exclusivamente para gestores do setor, uma capacitação em Gestão Ágil e Mudança de Mindset, realizada pela HSM, maior plataforma de educação corporativa do Brasil. O treinamento, que se iniciou ontem (segunda-feira) e segue até quinta-feira (1), em formato totalmente digital.
 
“O momento é desafiador, porque as novas demandas vêm em momento de grandes dificuldades econômicas. Para enfrentarmos a turbulência, precisamos inovar. Isso requer conhecimento, e é por isso que o Sistema CNT realiza esse evento, uma mostra da visão positiva que temos sobre o futuro e sobre a capacidade do setor de superar os obstáculos”, disse o diretor-adjunto do SEST SENAT, Vinícius Ladeira, que, em nome do presidente do Sistema CNT, Vander Costa, deu as boas-vindas aos participantes.
 
A qualificação foi estruturada para potencializar o aproveitamento, promover a interatividade e apoiar as mudanças nas organizações. Por isso, além dos dias de capacitação, o evento também contempla o acesso a material complementar e ao acompanhamento de tutores da HSM para orientar a implementação das ferramentas nas empresas.
 
As chaves para a gestão ágil
 
Márcio Almeida, consultor que ministrou a primeira parte da capacitação, apresentou os conceitos fundamentais para a gestão ágil e a mudança de mindset. Segundo ele, é essencial ser flexível, adaptável, veloz e digital. Além disso, é preciso dar autonomia aos colaboradores e não punir o erro. “Errar é essencial para gerar aprendizado”, diz.
 
A jornada da mudança contém seis aspectos principais:
 
Mindset ágil: fazer mais e de forma mais eficiente. É a base para o processo de gestão fundamentado em metodologias ágeis.
Times e padrões: mudança de estado mental requer entendimento de que times e padrões nascem naturalmente da associação de objetivos comuns.
Pensamento flexível e autonomia: as formas de controle precisam mirar as métricas parciais do objetivo comum, não a microgestão.
Protótipo e ideação: testar, testar e testar. O foco não é punir o fracasso, mas, sim, incentivar que, por meio deles, se alcance o sucesso.
Incertezas: aceitar a falta de certeza dos resultados, que é inerente a esse processo, é um dos maiores desafios para a implementação desse estado mental.  
Esculturamento corporativo: o ambiente deve ser propício para que o mindset ágil se torne sustentável e propicie aos participantes do ecossistema contribuir para o seu próprio crescimento.